segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Fuga


Fugir. Para um lugar em que o vento me leve. Onde eu me apaixone até mesmo pela grama. Onde a chuva escorra meu passado pra trás.
E que assim eu tenha um encontro com quem tanto me desafia, divide, quem tanto me dói. E então, encontrando a mim, eu me vença para me perder sonhando o que deixei pra trás, de novo, de novo e quantas outras vezes forem precisas para que eu aprenda a não desistir mais de mim. 

Fui me abandonando aos poucos, como quem deixa de usar um vestido. Me deixando para trás. E quando dei por mim, já não sabia mais em que parte do caminho havia deixado meus sonhos. Como juntá-os?

Poderia viver mais tempo com uma versão limitada. Escondendo na caixa do meu peito tudo que "já foi". Suportaria, se não fosse você provocar o meu regresso. Ficaria, se não fossem tuas palavras transbordando tudo o que eu já disse, numa época em que eu acreditava. Desistiria, se não existisse em mim o desejo de sempre voltar.

Me vi nos teus olhos e desejo retornar a mim. 
Resgate-me. 



 

Blog Template by BloggerCandy.com