quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Catarse

Por vezes pensei que os livros tinham enganado meus sonhos. Eu me pegava esperando a narração, a catarse, o desenrolar dos meus dias tal qual o enredo de um romance. Cheguei a me engravidar de histórias e dar a luz, dia a dia, a um lado diferente de mim, colecionando máscaras que me aprouvessem o uso. 
Viajei, da forma mais real que alguém poderia pisar chãos diferentes dentro do próprio peito. Vi, por trás dos meus olhos, as cores da minha alma refletidas em páginas. Desejei ser tinta somente para derramar palavras no branco pesar da minha realidade. Ser a pena na mão do escritor, aquela que vive,  por breves instantes, todo o contentamento de dar a vida sem a viver. Busquei, através de todas as janelas, algo que me fizesse saber o que me esperava do lado de fora de mim. E assim te vi passar. 
          Tu caminhavas contrariando o vento, como quem dança. Trazias os braços feridos, porém abertos. No olhar, uma eternidade escrita sem palavras, um rodar de estrelas, amor em forma de cor. Teu corpo balançava histórias, que eram sopradas na tua direção apenas para serem encontradas por ti. Teus lábios traziam um sorriso de manhã de Natal e cantavam versos que se espalhavam no caminho.
          Te olhei e percebi que tu não eras como os livros diziam. Muito menos como a história desenhava. Derrubaste minhas muralhas enquanto vinhas em minha direção, penetraste a narrativa da minha existência. Suavemente, o repuxo das tuas águas me chamavam para perto e eu, criança em pleno mar, cedia, atraída pela tua imensidão.
        Estendeste as mãos, e nelas vi a pena do escritor perfeito. Assim, descobri teu segredo e sorri, desfrutando por fim da minha catarse. Entendi que tu não eras apenas o Poderoso, o Extremo, o Inabalável. Tu eras a simplicidade, o sorriso, o comum, a chuva, o sol. Tu eras o sopro que balançava as árvores,  o narrador do amanhecer. Enfim, te desvendei: Tu eras poeta.
             E entendi que até a minha sede pela concepção do verso era uma forma tua de juntar nossos caminhos. Alegre, corri na tua direção, como a inspiração corre para o escritor.

Poete-me, e serei verso simples, precioso e eterno.


Inspirado por "Conversão", de Luciano Martini, e pelo Workshop de poesia dele no Ministrart. 
Vlog do Luciano neste link aqui.

2 Piruetas.:

Jaya Magalhães disse...

Eu nem acreditei quando vi comentário seu, Ká! Que surpresa mais deliciosa ter você de volta. Dá aqui um abração, vem.

Sua escrita continua linda. E você, tão mais linda ainda.

Beijíssimo.

Fruto do Espírito disse...

Com carinho para você!

SALMO 23

O SENHOR É MEU PASTOR,
Isto é relacionamento!

NADA ME FALTARÁ,
Isto é suprimento!

CAMINHAR ME FAZ EM VERDES PASTOS,
Isto é descanso!

GUIA-ME MANSAMENTE A ÁGUAS TRANQUILAS,
Isto é refrigério!

REFRIGERA A MINHA ALMA,
Isto é cura!

GUIA-ME PELAS VEREDAS DA JUSTIÇA,
Isto é direção!

POR AMOR DO SEU NOME,
Isto é propósito!

AINDA QUE EU ANDE PELO VALE DA SOMBRA DA MORTE,
Isto é provação!

EU NÃO TEMEREI MAL ALGUM,
Isto é proteção!

PORQUE TU ESTÁS COMIGO,
Isto é fidelidade!

A TUA VARA E O TEU CAJADO ME CONSOLAM,
Isto é disciplina!

PREPARAS UMA MESA PERANTE MIM NA PRESENÇA DOS MEUS INIMIGOS,
Isto é esperança!

UNGE A MINHA CABEÇA COM ÓLEO,
Isto é consagração!

E MEU CÁLICE TRANSBORDA,
Isto é abundância!

CERTAMENTE QUE A BONDADE E A MISERICÓRDIA ME SEGUIRÃO TODOS OS DIAS DE MINHA VIDA,
Isto é benção!

E EU HABITAREI NA CASA DO SENHOR,
Isto é segurança!

POR LONGOS DIAS,
Isto é eternidade!

Que o Senhor te abençoe e te guarde!

***Lucy***
http://frutodoespirito9.blogspot.com/

A propósito, caso ainda não esteja seguindo o meu, deixo aqui o meu convite.

Paz, saúde e felicidades a você e toda sua família é o meu desejo e oração.

Em Cristo,

***Lucy***

P.S. Visite também:
http://discipulodecristo7.blogspot.com/
Temas bíblicos e mensagens abençoadoras.

 

Blog Template by BloggerCandy.com