quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Ciranda.

Bom dia, minha senhora.
É hora de se desfazer das cobertas e abrir os olhos.
Daqui, posso dizer que consigo saber mais sobre você do que o espelho. Meus olhos acompanham-te os passos desde muito tempo, tanto que nem te recordas da minha aquisição. Não lembras quem fui, mas eu sei quem tu és. E sei tanto que chego a me surpreender com teus atos tão prevísiveis.
Tu és tão tola, menina. Sempre foi e ouso dizer que sempre serás. Tens esta fisionomia de "não sei o quê" misturado com infância, estes olhos cor-de-lágrima e este corpo pequeno, mirrado. Lembro da primeira vez que me tomaste nos braços e trançaste os meus cabelos, demoraste duas semanas para me levar ao quintal e dar-me um nome, simplesmente por medo. Tu temias estragar a visão que possuía de mim, embora quisesse.
E quando adoeceste a primeira vez, eu estava lá. Quando foi a hora de apagar as tuas luzes, eu também estava lá. Nos caminhos para a escola, nas brigas, nos recreios. Tu me escondias na mochila rosada como quem esconde um tesouro. Lembro da primeira vez que te rejeitaram. Tu me pegaste no teu colo pequeno e em passo acelerado te trancaste no banheiro da escola, chorando. Eu quis te dizer que da vida não se faz desenho, se reage. Quis te sacudir as pontas loiras e te fazer perceber que era preciso abrir as portas, da alma, da defesa. Mas tu permanceste calada e desde então és assim, fria, dona do silêncio, inimiga do acreditar.
O tempo passou e tuas crises pioraram. Por teu querer, virei enfeite da tua estante. Engraçado ser a única coisa (exatamente, coisa) que possui cor de todo o teu quarto. Tuas sombras pintam as paredes, exalam nas roupas, gritam às janelas. E, no meio das covas do teu mundo, meu sorriso estático te mostra as marcas dos anos. Hoje sou a metáfora de tudo o que um dia foi sonho: jogada, esquecida, irônica. Hoje vejo quão falsas eram as cirandas, pois teu amor é vil, é egoísta, é condicional. O anel que tu me deste era vidro e se quebrou. Enquanto meu vestido abrigava tuas lágrimas, eu era útil, porém quando não mais encontravas sossego nos meus cachos, fizeste comigo o que fazes com tudo o que te rodeiam: me deu de beber o teu desprezo. Tua violência, teus gritos, teu sofrimento escondido, só eu os vi. Quando todos quiseram te estender as mãos e tu deste as costas, eu também estava aqui. No primeiro cigarro, na primeira bebida e quando trouxeste ao teu quarto tudo o quanto querias "experimentar", eu também vi. Contemplei cada passo que deste rumo à tua destruição daqui da tua estante, cada fuga que tentaste para encontrar uma razão de continuar.
Eu sou a metáfora de todos os que tu amaste um dia, se é que consegues amar ainda. Tu agrupas os teus amores em estante, para mantê-los distantes da realidade de quem realmente és, por não tolelares a rejeição. Sou a imagem do Deus que tu pintas cruel, mas que em todo o tempo apenas quis te tirar as amarras. Um dia entenderás que o mundo é ciranda cruel, onde precisas embalar os dias e entrar na roda.
Hoje, menina, tu és a boneca e eu sou a vida. Permaneces imóvel diante do mundo, oferecendo tua superficialidade a todos que a comprem, sorrindo a fuga. E te dói ver-me a face, porque tenho cheiro da pureza que querias restaurar. Vamos todos cirandar a tua história, vamos dar a meia volta dos teus dias.
E ontem, quando choravas teus erros, eu quis te atrair a mim, para te lembrar o caminho reto. Não me viste, eu sei, mas tentarei novamente.
"O amor que tu me tinhas era pouco e se acabou", mas eu te sustentarei com o afeto que é desenhado em mim. Este é meu papel, permanecer na estante da tua memória apontando os sonhos esquecidos, a conversão da tua estrada, esperando o teu despertar real e o momento em que removeras de cima de ti o peso do mundo inteiro.
Diga um verso bem bonito, diga adeus e vá se embora!
Bom dia, minha senhora.
É hora de se desfazer das cobertas e abrir os olhos.

11 Piruetas.:

Junkie careta disse...

Pelo amor de Deus, isso é seu?
Que coisa linda!Se não for, por favor me diga quem é o autor.
Emocionante.

Parabéns.

Junkie careta disse...

P.S: E a nota, qual foi? Você não disse até agora.

caicko disse...

Os olhos cor-de-lágrima que combinam com meus lábios cor-de-choro. É triste essa beleza, é bela a nossa tristeza. Sempre deliciosos os teus textos, Karine. Beijo grande e uma ótima semana.

Jaya disse...

Eu vi você em meu canto, agora. Rs. Não dancei a "Ciranda", volto para fazê-lo. Vim contar de Paquetá. As portas se fecharam para análise interna, Ká. Balanço de letras e objetivos. Mas chegou primavera, e as janelas se abrirão todas, outra vez.

Te aviso.

Beijo nocê, que é fofa.

Bruna.K disse...

Ah...
Sempre sem palavras.

Me fez lembrar duas coisas...
1º: o filme Toy Story 2 ("Quando ela me amava... e tal")
2º: Witness (com rostos de boneca) quando ela diz "tu és a boneca e eu sou a vida".

Lindo, Ká!

E saber que Deus sempre está do nosso lado também e às vezes a gente nem se dá conta...
Mas Ele tá ali, cuidando, chamando, falando...

AHHHH!!!

=)

Bjus mil...

Luana e Luma disse...

Oiiii Ká...
como c tah ninaaa?
saudades...

migaaa...gostams dos seu texto, mas pra falar a verdade, nao sei se é pq tams morrendo de sono, mas n entendems mto não. kkkkkkk
mas...

bjusssss ninaaa.

Deus abençoe!

Cadinho RoCo disse...

Toda hora é hora de se descobrir.
Cadinho RoCo

Filipe Garcia disse...

Oi Ká,

gostei desse tom que você empregou no texto. Como a boneca mesmo disse, ela é uma metáfora. Seus versos são metáforas desse nosso constante "adeus" à pureza. A cada dia nos embriagamos de coisas fúteis, inúteis. Difícil lidar com elas, difícil expulsá-las. Seu texto foi reflexão, foi uma "sacudida", um convite à viagem dentro de nós mesmos. Muito bonito isso, Ká. Cada dia que passa eu tenho mais prazer em ler você.

Ressalto uma passagem que, nem sei por que, muito me marcou: "Tu agrupas os teus amores em estante, para mantê-los distantes da realidade de quem realmente és".

Beijo pra você, poetisa.

.Dazinha. disse...

Virei fã,incondicional!

Perfeito, nossa, acho que qualquer coisa que eu digo não vai chegar a altura, então, perfeito.

Nara Caroline disse...

Parabééééééééssssss
Muito Lindo Ká!
Bju

Nara Caroline disse...

Parabééééééééssssss
Muito Lindo Ká!
Bju

 

Blog Template by BloggerCandy.com