quarta-feira, 16 de abril de 2008

Vergonha.

Vergonha não é ter na pele o suor da trabalho, mas sim saber que lá em cima, no pedestal da hierarquia burguesa, poucos comem com o suor de muitos. Vergonha é viver em um país fraco de si, vendido à conceitos escravos, disfarçado em uma falsa liberdade. É ter ruas cheias de futuros a brincar e deixar que estes se percam. É ter que caminhar todo o dia como se fosse o último, não por lazer, mas porque realmente pode ser o último.

Vergonha é ver escorrer sangue dos jornais e saber que, naquela manhã, famílias terão cadeiras vazias na mesa. É ter um povo de eleitores fracos, que aceitam a vida apresentada por uma caixa preta onde toda a amante é mocinha, o marido é rude, os filhos são rebeldes e tudo que você é, é e pronto.

Vergonha é ter uma geração de crianças precoces, porém não na educação e muito menos no entendimento, mas sim na sexualidade e maturidade de malícia. Uma geração que cresce trocando livros por funck, e aprendendo a dar duplo sentido as frases para poder ter respeito entre os demais.

Vergonha é ter políticos em camadas, daqueles que só se conhece o interior depois de descoberta suas fraudes. Que não possuem o mínimo temor em tomar o que não é seu.

Vergonha é ter que descer correndo do ônibus antes que tomem os teus pertences. É ter uma polícia tão débil, tão falha. É existirem pessoas que estupram, espancam, jogam crianças das janelas. É ter que ver tudo isto enquanto se janta na sala.

Vergonha é o homem vender o cérebro por tão pouco. Vender os príncipios, a moral. E não adianta dizer que ele é corrupto por natureza, pois esta é uma das maiores desculpas de quem compra e vende no comércio do dia-dia. A natureza do homem está em Deus, por ele que fomos criados, logo, desconheço de onde vem tanta ignorância...

Não se perde a vida no momento que se morre, mas no Jarmomento em que nos deixamos vender.




PS: Visite também o Jardim!

5 Piruetas.:

Filipe Garcia disse...

Belo desabafo, Karine! Gostei mesmo de ler isso hoje. Também acordei com esse espírito revoltado e a indignação revirando meu estômago. Parece um assunto clichê. E, como todos os clichês, as pessoas banalizam e param de pensar no que é essencial. Mas eu acredito na validade das suas palavras e na força do seu grito. Que Deus nos dê mais fôlego!

Beijos

Alle Nascimento disse...

*critica inteligente!
**revolta!

Juliana Caribé disse...

Ka, absolutamente, concordo com você em tudo!

Como diz meu marido, "gente é um bicho esquisito".

Vi no jornal esses dias sobre a menina que foi jogada da janela... E as pessoas assistem a isso sem se revoltar, sem se indignar... Sentem pena da menina, mas não se mobilizam para fazer algo.
Vergonha é mesmo viver assim...

Beijos.

Spuldaro disse...

"Vergonha é o homem vender o cérebro por tão pouco. Vender os príncipios, a moral."
Para mim, aí é onde começa (ou acaba?) tudo...

Muito bom texto!
GRande abraço!!

Jo disse...

muito bom o texto mesmo! :)
eu só acrescentaria a -vergonha de ver essa situação e não fazer nada pra mudar..

saudações!!

 

Blog Template by BloggerCandy.com